Redes Sociais

Nosso Whatsapp

 88 993251481

Encontre o que deseja

NO AR

Ritmos da Tarde

    Brasil

Alguns corpos infelizmente não serão possíveis de ser recuperados, afirma porta-voz dos bombeiros

Publicada em 04/02/19 as 12:24h por Rádio Forquilha FM 98,7 - 214 visualizações

Compartilhe
   
Link da Notícia:
Em Mariana, que teve número muito menor de corpos, ficamos três meses e aqui a gente pretende operar por esse tempo. A gente só vai parar quando for impossível fazer um resgate de corpos  (Foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 02/02/2019)
O porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, tenente Pedro Aihara, admitiu na manhã desta segunda-feira (4) que alguns corpos das vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho nunca serão encontrados.  

De acordo com Aihara, chega um momento em que pela situação de decomposição dos corpos vai ser difícil localizá-los. Questionado se haveria a possibilidade de algumas das vítimas nunca serem encontradas, o tenente afirmou que essa hipótese é vislumbrada pelos bombeiros. 

"Em situações deste tipo, que a gente tem estrutura colapsada e lama, já é esperado que a totalidade dos corpos não seja encontrada. Então, a gente trabalha o mais rápido possível para poder ser efetivo e encontrar o maior número. Só que evidentemente, pela característica da tragédia e pela situação biológica de decomposição, alguns corpos a gente estima que, infelizmente, não serão possíveis de ser recuperados. Que seja o menor número possível", avalia. 

De acordo com o tenente, já era esperada uma redução no número de corpos a serem encontrados por dia. Isso porque em um primeiro momento são encontrados aqueles que estão em níveis mais superficiais da lama. "Essa recuperação é muito mais fácil de acontecer, tanto pelo ponto de vista de esses corpos serem achados com mais facilidade, quanto do ponto de vista de retirada deles".  

De acordo com o tenente, com o avançar dos dias, além de ser mais complicada a localização, a logística para um resgate é muito mais difícil e demorada. No estágio atual, para cada novo corpo é preciso fazer um trabalho de escoramento do local e um meticuloso manuseio para não  atrapalhar a identificação posterior pelo Instituto Médico Legal (IML). "Questão de quantidade de corpos vai diminuir mesmo. Com relação a tempo de operação, vai durar meses certamente. Em Mariana, que teve um número muito menor de corpos, ficamos três meses e aqui a gente pretende operar por esse tempo. A gente só vai parar quando for impossível fazer um resgate de corpos ", disse Aihara.

Até esta manhã, 121 corpos haviam sido resgatados e 205 pessoas estavam desaparecidas em Brumadinho. Em Mariana, onde a Barragem do Fundão se rompeu em novembro de 2015, foram 19 mortos sendo que um dos corpos nunca foi encontrado.





ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Nossos Parceiros

 
 
 
 

Nosso Whatsapp

 88 993251481

Copyright(c) 1997 - 2019 | Rádio Forquilha FM 98,7 - Essa é a sua Rádio | Rua: São Francisco, S/N, Centro, Forquilha - CE - Todos os direitos reservados